Sábado, 19 de Agosto

ÚLTIMAS :

História

PS/Guimarães: A nossa História

Da fundação às primeiras autárquicas

É, após o 25 de Abril de 1974, quando Mário Soares, regressado a Portugal do exílio que lhe era imposto pelo regime de ditadura, começa a organizar o Partido Socialista em todo o País, que em Guimarães se forma a primeira Secção Local do PS.

O advogado Mota Prego, o médico Adelino Abreu, o professor de educação física José Paul, o empresário José Albino Costa e Silva, os bancários Augusto Coelho e Edmundo Campos, o funcionário público Manuel Rodas, José Ferreira Lopes e Jorge Bourbon Sampaio, sindicalistas dos escritórios, Herculano Cunha, sindicalista metalúrgico, o chamado “grupo da Alfa” que integrava António Castro, Oliveira Rodrigues, Álvaro Costa, Händel Oliveira, Francisco Dias de Castro, e, entre outros, João Ribeiro da Silva, foram os primeiros aderentes e dinamizadores.

A primeira sede foi instalada no, hoje, Largo da Misericórdia, mudou logo a seguir para a Rua Gil Vicente no prédio de esquina com a Rua Francisco Agra, acabando por se estabelecer na Rua Gil Vicente, por cima da garagem de automóveis, durante cerca de vinte e cinco anos. Hoje está instalada no Largo do Toural.

Nas primeiras eleições em Portugal, ocorridas em 25 de Abril de 75, um ano após a “revolução dos cravos”, Mota Prego foi eleito Deputado à Constituinte, tendo, ao fim da primeira metade do mandato, sido substituído pelo segundo nome indicado por Guimarães: Oliveira Rodrigues, metalúrgico da “Alfa”.

A primeira Comissão Administrativa Municipal foi nomeada, após consulta ao MDP/CDE e à “Unidade Vimaranense”, sem participação do PS local, ainda em formação. Mas nela integrou-se José Ferreira Lopes que foi assim o primeiro militante a exercer funções executivas municipais.

O PS foi o partido mais votado em Guimarães nas eleições para a Constituinte, pelo que, após a renúncia da primeira Comissão Administrativa Municipal, lhe coube indicar os principais nomes para a Comissão que lhe sucedeu. Edmundo Campos foi indicado para Presidente, acompanhado por José Ferreira Lopes, Abílio Costa (líder da JS), Joaquim Costa, da Secção de Vizela, e três nomes do PSD.

Em 25 de Abril de 76 decorreram eleições para a primeira Assembleia da República e foram eleitos como Deputados Socialistas de Guimarães Oliveira Rodrigues e António Magalhães, então Professor da Escola Preparatória João de Meira.

Em Dezembro do mesmo ano foram eleitos os primeiros órgãos do poder local. O PS venceu as eleições para a Câmara Municipal, Edmundo Campos foi eleito Presidente e Mota Prego e Abílio Costa Vereadores, mas com seis Vereadores da oposição. Para a Assembleia, o PS venceu igualmente com uma lista encabeçada por José Ferreira Lopes. Nas freguesias, o PS venceu apenas em dezassete, o que diz bem das dificuldades iniciais de inserção nas 73 autarquias do Município.

A partir do final da década de 70, o Secretariado da Secção de Guimarães passou a ser liderado por António Magalhães, incluindo José Albino Costa e Silva, Albano Fernandes, João Ribeiro da Silva, Händel de Oliveira, João Nobre, Diamantino Morais, entre outros.

 

 

A década de 80
Nas eleições municipais de 79, o PS candidatou à presidência da Câmara o Independente Manuel Ferreira, seguido por Albano Fernandes, Mendonça Pinto (Independente de Vizela), Helena Carneiro (que renunciou antes da posse) e António Magalhães que iniciaria em 1980 responsabilidades municipais. A coligação AD (PSD/CDS) venceria as eleições, pelo que os Vereadores do PS estiveram na oposição. Na Assembleia, a liderança da bancada foi entregue a Händel Oliveira, Hélder Rocha, Lucinda Lacerda e Herculano Cunha.

Para o mandato intercalar (79/80) na Assembleia da República foi eleito Händel Oliveira, após o qual regressou António Magalhães que seria Deputado de 76 a 90 com esse pequeno interregno. O PS recuperou a presidência da Câmara em 83, com o Presidente Manuel Ferreira e António Magalhães, António Castro e Fernando Marques como Vereadores.

Concluído esse mandato que foi reduzido no ano inicial de 83 pela não votação da população de Vizela em luta pelo seu concelho, decorreram novas eleições em 85, onde António Magalhães foi, pela primeira vez, candidato à presidência acompanhado pela mesma Vereação do mandato anterior. Mas o PS perdeu a Câmara, por cem votos de diferença, pelo acumular de muitas questões conjunturais: a abstenção de Vizela, a oposição do Presidente do Vitória que apelou ao voto na UD (PSD/CDS) e desgaste por obras em curso na cidade, não terminadas, como a canalização da ribeira de S. Luzia.

Na vida interna da secção, em consequência de uma alteração de estatutos, foi eleita em 88 a primeira Comissão Política Concelhia presidida por António Fernandes, arquiteto, que integrava a liderança do Grupo Parlamentar e que tinha reorganizado a JS.

Registe-se, a propósito, os nomes dos líderes da JS concelhia desde a fundação até aos dias de hoje: António Bastos Torres, Abílio Costa, António Fernandes, Amadeu Portilha, Maria do Céu Martins, Esser Jorge, Helena Oliveira, Hugo Rainha, Helena Abreu, Nuno Joel Silva, David Delgado, Pedro Cardoso, Luís Soares.

Em 89, António Fernandes demitiu-se da presidência da CPC, sendo substituído por José Albino Costa e Silva, nº2 da lista eleita. Em 90, este foi eleito à frente de nova Comissão Política, mas faleceu inesperadamente em Junho desse ano, tendo ascendido a Presidente o Médico José Martins, que também viria a renunciar, tendo então assumido Albano Fernandes.

 

A década de 90
Em Dezembro de 89, o PS regressava ao poder municipal com maioria absoluta, o que sucedia pela primeira vez em Guimarães. António Magalhães foi eleito Presidente, tendo como Vereadores José Martins, Orlando Coelho, António Castro, Fernando Marques e Ermelinda Oliveira. Na Assembleia Municipal, Mota Prego foi eleito Presidente e a direção da bancada foi entregue a António Fernandes, Manuel Ferreira, Raul Rocha, Francisco Teixeira e Maria José Pacheco (Secção de Vizela). Em 91, esta direção parlamentar foi alterada passando a ser liderada por Manuel Ferreira.

Em 92 foi eleito Presidente da Comissão Política Concelhia o Médico José Alberto Marques. Em 93, António Magalhães foi reeleito Presidente da Câmara, alargando a sua maioria de 6 para 7 eleitos: José Alberto Marques, António Castro, Ermelinda Oliveira, Francisco Teixeira, Alberto Oliveira e Domingos Bragança.

Em 95, José Alberto Marques foi eleito Deputado por Guimarães à Assembleia da República e, a partir de 96,por substituição de um Deputado falecido, Sónia Fertuzinhos passou igualmente a ser Deputada.

Em 98 foi eleito Presidente da CPC Domingos Bragança que se manteve nessas funções até hoje. No Secretariado, nos últimos anos, a sua composição foi: Armindo Costa e Silva, Francisca Abreu, Amadeu Portilha, César Machado, Sofia Ferreira, Paula Oliveira, Miguel Sousa, Carlos Oliveira, Miguel Laranjeiro, com pequenas alterações ao longo dos vários mandatos.

Antes, em 97, o PS renovou mais uma maioria municipal com António Magalhães (Presidente), António Castro, Domingos Bragança, Francisca Abreu, Armindo Costa e Silva e Alberto Oliveira como Vereadores. Na Assembleia, Mota Prego continuou na presidência da Mesa, e na direção da bancada Manuel Ferreira passou a ser acompanhado por Martins Soares.
Em 99, Sónia Fertuzinhos renovou o seu mandato na Assembleia da República, passando a ser a única Deputada socialista de Guimarães.

 

Século XXI
Em 2001, o PS voltou a renovar a sua maioria municipal sem alteração na equipa de Vereadores. Na Assembleia, Martins Soares passou a liderar a bancada, acompanhado por César Machado.

Em 2005, nova maioria PS mas com alterações na Vereação com a saída de António Castro, que assumiu a presidência da Vimágua, e de Alberto Oliveira. Entraram Júlio Mendes e César Machado, tendo Domingos Bragança ascendido a Vice-Presidente. Na Assembleia, assumiu a liderança do GPS Miguel Alves, e Carlos Remísio de Castro substituiu Mota Prego na presidência da Mesa. No mesmo ano, Miguel Laranjeiro foi eleito Deputado à Assembleia da República e o PS/Guimarães voltou a ter dois deputados, dado que Sónia Fertuzinhos se manteve.

Em 2009, o PS voltou ao seu melhor resultado de sempre: sete eleitos para a Câmara Municipal. Da Vereação anterior saíram Júlio Mendes e Armindo Costa e Silva, este nomeado Presidente da Vimágua, e entraram Amadeu Portilha, Alexandra Gesta e José Augusto Araújo. Na Assembleia, para a liderança da bancada foi eleito Miguel Laranjeiro, membro do atual Secretariado Nacional do PS.

A 29 de setembro de 2013, Domingos Bragança dá início a um novo ciclo na liderança do Município de Guimarães, ao conquistar a sua primeira maioria absoluta, com 47,61% dos votos. Amadeu Portilha, Adelina Paula Pinto, José Bastos, Ricardo Costa e Paula Oliveira são os novos vereadores do PS. António Magalhães foi eleito para a Presidência da Assembleia Municipal com 46,09% dos votos, equivalentes a 24 mandatos.

 

Share

TESTEMUNHOS

  • fernanda mendes

    "Não têm havido cheias na Zona de Couros, depois de construídas as bacias de retenção. Foi uma obra necessária que cumpriu o objetivo e um desejo antigo dos moradores." (Fernanda Mendes, 49 anos, São Sebastião)

VER MAIS

FACEBOOK